Menu

USP São Carlos cria software que identifica comentários e avaliações falsas na web

19 MAI 2017
19 de Maio de 2017

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade (ICMC-USP), em São Carlos, devolveram um sistema que identifica comentários e avaliações difamatórias que visam apenas denegrir a imagem do produto ou serviço oferecido na internet.

Denominado Orfel (sigla em inglês de Online-Recommendation Fraud Excluder), o software também pode ter outras aplicações, como caracterizar a promoção ilegítima de publicações (posts) e páginas no Facebook, além de identificar citações cruzadas por revistas científicas.

O sistema foi capaz de detectar mais de 95% de potenciais ataques maliciosos em sistemas de recomendação on-line e com maior eficiência do que outros algoritmos usados atualmente para essa finalidade, segundo os pesquisadores. Os resultados da aplicação do novo método foram descritos em um artigo publicado na revista ‘Information Sciences’.

Padrão de comportamento

O professor José Fernando Rodrigues Júnior explicou que o comportamento fraudulento não ocorre individualmente, é preciso um grande número de usuários postando comentários durante o período de um mês aproximadamente.

“Foi aí que a gente conseguiu detectar o padrão de comportamento. Mesmo que eles tentem disfarçar ao longo do tempo o nome do usuário, o que eles falam, a gente consegue identificar que aquele comportamento está ocorrendo de maneira sistemática a fim de promover ou difamar algum produto”, disse.

Varredura

O novo método é voltado para identificar o comportamento chamado de ‘lockstep’. Muitas vezes, com o intuito de aumentar sua base de clientes, empresas utilizam um sistema de recomendação em que os usuários fazem avaliações sobre os produtos ou serviços que adquiriram e dão uma nota que varia de 0 a 5 estrelas.

A dificuldade de identificar esses ataques de múltiplos usuários falsos interagindo com vários produtos em momentos aleatórios é que eles ocorrem em meio a milhões de avaliações de produtos por usuários por segundo e, por isso, podem ser camuflados.

O ponto fraco desses ataques, entretanto, é que eles costumam ocorrer em uma mesma janela de tempo e em fluxos. O software faz uma varredura nos comentários e identifica os suspeitos.

“A empresa pode escolher punir o usuário simplesmente excluindo a conta e impedir que ele faça novos comentários ou até mesmo acionar as autoridades e tomar as medidas legais”, explicou o pesquisador Gabriel Gimenes.

Dowload gratuito

O programa pode ser baixado de graça e é voltado para as empresas. Para os consumidores, vale o alerta de que não dá para acreditar em tudo o que se lê na internet.

“Tem que prestar atenção em comentários extremos, como ‘maravilhoso’, ‘excelente’, ‘top’, com frases que ferem a boa gramática porque isso é indicativo de que houve um processo computacional não muito inteligente para formar frases feitas”, disse Rodrigues.

Gimenes ressalta a importância de prestar atenção também a comentários radicais.

“Muito provavelmente se alguém está dizendo que aquele produto é horrível e não tinha utilidade nenhuma, isso não deve ser a informação verdadeira. O mesmo vale para alguém que diz que o produto é muito bom e não tem contraponto nenhum”.

O sistema foi desenvolvido durante o mestrado do estudante Gabriel Perri Gimenes e dos projetos de pesquisa “Divisão relacional por similaridade em banco de dados” e “Processamento analítico de grandes grafos”, realizados com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).


G1

Voltar
Tenha você também a sua rádio